quarta-feira, 7 de julho de 2010

Vamos falar de calor ?

A temperatura atingiu 30,3ºC na tarde da terça-feira em Campo Bom, mas, apesar de bastante elevada para esta época do ano, esteve muito longe do recorde histórico de máxima para o mês de 34,6ºC de 1987. Em São Leopoldo, a máxima na estação da MetSul Meteorologia, no Morro do Espelho, foi de 30,0ºC. Já em Porto Alegre, a estação do Sistema Metroclima na Avenida Sertório indicou 30,1ºC. As demais estações do Metroclima acusaram 28,5ºC no Menino Deus; 28,3ºC em Belém Novo; e 28,0ºC no Moinhos de Vento. No Jardim Botânico, a máxima na estação do Instituto Nacional de Meteorologia foi de 28,4ºC. O calor se repetiu pelo interior com várias localidades em que as máximas se aproximaram dos 30ºC.


Muita gente notou que na madrugada desta quarta-feira, a temperatura não baixou de 19ºC em alguns pontos mais altos da cidade de Porto Alegre enquanto estações em áreas baixas registraram 13ºC nas zonas Sul e Norte da Capital. Ora, há um fluxo de ar quente de Norte em níveis da atmosfera imediatamente acima da superfície. A sondagem do Aeroporto Salgado Filho das 21h de terça acusou 15,6ºC em superfície (3 metros), mas 18,2ºC a 20 metros, 22ºC a 47 metros, 23ºC a 56 metros, e 24,4º a 129 metros de altitude. No nível de 925 hPa, a 800 metros, fazia 22,8ºC. A 500 metros, sobre a cidade, o vento Norte atingia quase 50 km/h. A corrente de jato em baixos níveis (imagem abaixo) fez com que a temperatura, na estação automática, não baixasse de 22ºC durante a madrugada em Santa Maria e de 19ºC em Bagé. Novamente fará calor no Estado na tarde desta quarta-feira.


Nos Estados Unidos, a história também é calor. A costa Leste americana teve uma terça tórrida no dia mais quente na região em uma década, segundo dados de algumas estações. As máximas superaram 100ºF (37,7ºC) nas principais metrópoles. Os termômetros indicaram 39,4ºC na cidade de Nova Iorque e 38,8ºC na Filadélfia. Boston, Washington, Newark, Providence e Hartford experimentaram calor opressivo, o que provocou cortes de energia e muita demanda por água.




Para quem acha que este calor em Nova Iorque e nos Estados Unidos é coisa de aquecimento global, é hora de rever os seus conceitos. Levantamento publicado por Joseph D´Aleo no Icecap mostra que desde 1930 a temperatura em Nova York atingiu 100ºF em pelo menos 47 oportunidades, sendo que a última vez tinha sido em 2001.


Ganhou amplo destaque na mídia a notícia de que o planeta estaria experimentando um ano de calor recorde. Segundo o NOAA, a temperatura nos primeiros cinco meses deste ano teria superado o aquecimento de 1998, o maior até então visto. Ocorre que os dados da agência de Meteorologia sofrem pesadas críticas. Levantamento indicou que 90% das estações nos Estados Unidos não preenchem critérios de instalação a ponto de estarem ridiculamente instaladas em telhados e estacionamentos. Por isso, muitos pesquisadores se valem de medições de satélite da baixa troposfera, livres do efeito de urbanização, para o cálculo da evolução da temperatura planetária. Recém saíram os dados de junho de satélite pela Universidade do Alabama – Huntsville. Junho foi 0,44ºC mais quente que a média dos últimos 30 anos e o mês com menor anomalia positiva até agora em 2010, sinalizando que a temperatura da Terra de novo começa a cair com o fim do El Niño. O primeiro semestre de 2010 teve anomalia positiva média de 0,56ºC, menor do que os 0,64ºC de 1998. Portanto, não consideramos que este ano esteja mais quente no mundo do que em 1998, logo falar-se em recorde é temerário.



Autor: Eugenio Hackbart

Publicado em 07/07/2010 09:58
Fonte: DIRETO DA METSUL
Postar um comentário

Últimas dos Blogs