segunda-feira, 14 de junho de 2010

Rodrigo Alvarez fala como é estar cara a cara com tornado: “Pura adrenalina”

Em chat com os internautas, repórter fala dos medos e emoções de ficar diante do fenômeno meteorológico. O Fantástico do domingo (06) mostrou uma reportagem surpreendente sobre os tornados nos Estados Unidos. Em um bate-papo com os internautas após o programa, o repórter Rodrigo Alvarez falou sobre os bastidores dessa experiência e revelou que não teve medo de encarar os tornados. Confira os principais trechos deste bate-papo.
O risco da reportagem
“Ficar quase a 300 metros de um tornado é um grande risco. O vento pode aumentar e vir em nossa direção. Se o tornado se formasse quando estávamos no meio do campo era provável que tivéssemos que sair correndo na direção contrária. Mas o grande charme desta profissão é justamente este: estar maravilhado e apaixonado diante de uma situação estranha e de perigo”. saiba mais
Medo e emoção
“Só temos medo quando não podemos fazer nada. Ao estarmos dentro de um avião caindo, por exemplo, morremos de medo porque não temos nada para fazer. Mas quando você tem algum controle da situação é pura 'adrenalina'. E nós estávamos prontos para agir. Eu já tinha visto muitos tornados se formando, mas não se completando. Quando eu vi, pela janela do carro, o tornado descendo e tocando o chão, pude oficialmente chamar aquilo de tornado. Foi lindo”.
Como a população se protege
“Nessa região, a população é acostumada a acordar e olhar a previsão do tempo. A própria televisão americana avisa a todo tempo sobre a possibilidade ou não de haver um tornado. Ao mínimo sinal de uma tempestade, as pessoas são alertadas pelas autoridades via rádio, televisão e até mesmo internet. Além disso, no porão das casas há abrigos anti-tornado, nos quais os moradores descem e ficam trancados em segurança. Os banheiros dos aeroportos também oferecem áreas de proteção contra tornados. Na verdade, todo lugar tem uma proteção e as pessoas sabem disso”.
Aprendizado
“Depois de ver um fenômeno dessa magnitude tão de perto, a experiência de viver ficou mais interessante. Também aprendi muito sobre meteorologia. É interessante ver como os cálculos meteorológicos são feitos. A partir de agora, quando vir algumas nuvens no céu, posso arriscar se terá ou não um tornado. Brincadeira”!
Fonte: G1.com
Postar um comentário

Últimas dos Blogs