sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Sobe para sete número de mortos em temporais no Sul

Casal está desaparecido em Curitiba após veículo ter sido arrastado e caído em um córrego

Rita Cirne, do estadao.com.br

Subiu para sete o número de pessoas mortas em razão dos temporais que caíram na Região Sul do País na quinta-feira, 19. A chuva forte, acompanhada de rajadas de vento de mais de 100 km/h em alguns locais, arrancou telhados, derrubou árvores e postes e alagou estradas em diversos municípios.

A primeira morte no Estado de Santa Catarina foi confirmada nesta sexta-feira, 20. Trata-se de uma mulher de 56 anos que foi atingida por uma árvore que caiu em Tubarão. Ela foi levada a um hospital, mas morreu nesta madrugada.

No Rio Grande do Sul, seis pessoas morreram e há 30 mil desalojadas e 1.550 desabrigadas, segundo a Defesa Civil. No município de Cidreira, no litoral norte do Estado gaúcho, um adulto morreu e o teto de uma escola caiu sobre uma sala de aula, ferindo levemente 30 crianças.

No Paraná, os bombeiros ainda procuram duas pessoas que desapareceram depois que o principal rio de Curitiba, o Belém, e alguns dos seus afluentes transbordaram, derrubando uma ponte e abrindo uma cratera. Com o desabamento, três carros foram arrastados pelas águas e caíram em um córrego. Apenas os dois ocupantes de um Gol continuam desaparecidos.

O carro já foi localizado, mas os bombeiros enfrentam dificuldades para ter acesso ao veículo e confirmar se as vítimas ficaram presas ou conseguiram escapar. Cerca de 30 familiares do casal acompanham os trabalhos de resgate.

Na quinta-feira, a Defesa Civil e Curitiba registrou 120 atendimentos entre alagamentos, quedas de árvore e riscos de desabamento. Antes das chuvas, o Estado registrou a temperatura mais elevada do ano. Em Morretes, no Litoral, os termômetros marcaram 41,7ºC segundo o Instituto Meteorológico Simepar.

As condições meteorológicas desta sexta-feira, na região Sul, são favoráveis às pancadas de chuva, de moderadas a fortes, acompanhadas de trovoadas e rajadas de vento em algumas áreas.

Mortes

Na capital gaúcha, uma das paredes de um prédio desativado caiu sobre a calçada da Avenida Brasil, matando a auxiliar de serviços gerais Marilu Azambuja, de 37 anos, que passava pelo local, na zona norte da cidade. Na zona sul, um morador do bairro Restinga, identificado como Jorge Camargo, de 39 anos, morreu atingido pelo tronco de uma árvore, quando tentava se proteger da chuva e do vento.

Em Canoas, na região metropolitana, o operário Eduardo da Silva, de 19 anos, foi soterrado pelo muro de uma construção e morreu. No mesmo município, o terceiro sargento da Aeronáutica João Luiz de Mattos, de 47 anos, morreu enquanto manejava uma motosserra para cortar uma árvore caída dentro do terreno do 5º Comando Aéreo Regional (Comar). E em Capivari do Sul, no litoral, a queda do galho de uma árvore matou o agricultor Pedro da Silva Rosa, de 60 anos.

(Com Elder Ogliari, de O Estado de S. Paulo)

Postar um comentário

Últimas dos Blogs