quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Obama vai propor corte de 17% em emissões dos EUA até 2020

Obama

Barack Obama deve ir a Copenhague antes dos outros líderes mundiais

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai propor um plano de redução das emissões americanas de gases que causam o efeito estufa em etapas, começando com 17% até 2020, de acordo com informações anunciadas pela Casa Branca.

A proposta será apresentada na reunião das Nações Unidas sobre mudança climática em Copenhague, em dezembro.

Obama confirmou presença no encontro, que será realizado na capital dinamarquesa entre 7 e 18 de dezembro, mas não deve participar dos últimos dias da conferência, quando mais de 60 líderes estarão presentes.

A reunião com representantes de 192 países tem o objetivo de produzir um acordo de combate à mudança climática para substituir o atual Protocolo de Kyoto, que expira em 2012.

De acordo com a Casa Branca, os Estados Unidos devem prometer cortes de 17% até 2020, 30% até 2025, 42% até 2030 e 83% até 2050.

Segundo nota oficial, durante sua visita a Copenhague, em 9 de dezembro, Obama deve traçar os planos para "uma contribuição significativa para um problema que os Estados Unidos negligenciaram por tempo demais".

Nobel da Paz

A Casa Branca afirma que Obama irá para Copenhague antes de viajar a Oslo, na Noruega, no dia 10, onde receberá o prêmio Nobel da Paz.

Entre os chefes de governo e Estado que também devem ir à Dinamarca estão o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel.

A confirmação da presença de Obama e de uma proposta concreta de redução das emissões americanas aumenta as expectativas de um resultado positivo para a reunião em Copenhague.

O presidente americano deve ir à capital dinamarquesa antes do chamado segmento de alto nível da conferência, que costuma acontecer nos últimos dois dias do encontro (17 e 18).

Na sexta-feira, o chefe das Nações Unidas para mudança climática, Yvo de Boer, havia afirmado que a presença de Obama "faria uma enorme diferença".

Geralmente, são ministros de meio ambiente que participam dos últimos dias das reuniões anuais de mudanças climáticas da ONU.

O primeiro-ministro dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen, afirmou que a participação dos chefes de Estado será "crucial" para o sucesso do encontro.

Fonte: BBC Brasil

Postar um comentário

Últimas dos Blogs