terça-feira, 20 de setembro de 2011

Nasa esclarece rumores sobre cometa Elenin


São Paulo- Desde que foi descoberto, em dezembro do ano passado, o cometa Elenin passou a ser o centro de uma série de teorias conspiratórias/apocalípticas na internet.
Para tentar acalmar os ânimos, a Nasa divulgou um comunicado esclarecendo que o corpo celeste não irá afetar, de forma alguma, a Terra.
No dia 16 de outubro, quanto estiver na sua proximidade máxima do planeta, o Elenin estará a 35 milhões de km de nós - uma distância de 90 vezes a da Terra à Lua.
Oficialmente chamado de C/2010 X1, ele foi detectado em dezembro de 2010 por Leonid Elenin, um observador de Lyubertsy, na Rússia, que fez a descoberta remotamente com um observatório no Novo México. Na época, o cometa estava a 647 milhões de km da Terra.
O achado disparou uma série de rumores, e a Nasa recebeu centenas de perguntas a respeito do cometa. Após observar durante meses sua trajetória, a agência espacial esclarece, em primeiro lugar, que não há nada incomum com a descoberta – e nem com o fato de a agência monitorar seu caminho. Há, inclusive, um programa especial de observação de objetos próximos à Terra que monitora, constantemente, centenas de corpos celestes. O Elenin é apenas mais um da lista.
Fim do mundo?
Boatos na internet especulavam sobre um suposto alinhamento do cometa com outros objetos celestes, um fato que poderia causar sérias consequências na Terra.
Uma das teorias dizia que ele poderia puxar a trajetória do Cometa Honda, ou alterar a rota de uma anã-marrom em nosso Sistema Solar. A Nasa desmente todos esses rumores. Segundo ela, qualquer alinhamento com outros corpos é mínimo e não oferece risco. Não existe, também, nenhuma anã-marrom no nosso sistema. Esses corpos são um tipo de estrela facilmente detectada em infravermelho e, caso existisse um perto de nós, teria sido observado.
Outra teoria dizia que o cometa bloquearia o Sol por três dias – mais uma inverdade, segundo a agência. Em primeiro lugar, porque,  visto da Terra, o Elenin nem passará na frente do Sol. E, segundo, porque, mesmo que passasse, ele não teria efeito algum: possui apenas entre 3 e 5 km de diâmetro, enquanto o Sol possui 1.392.082 de km.
Para os interessados em observar a passagem do cometa, a Nasa informa que ele deve parecer mais brilhante no dia 16 de outubro, pouco antes de sua aproximação máxima da Terra. Infelizmente, ainda não há certeza se ele será visível a olho nu.
Uma coisa, no entanto, a Nasa afirma: depois de passar pro nós, o Elenin seguirá sua trajetória e, por milhares de anos, não ouviremos falar dele.
FONTE:
Postar um comentário

Últimas dos Blogs