sexta-feira, 28 de março de 2008

Vórtice Ciclônicos de Altos Níveis – Subtropical - VCAN

Os vórtices ciclônicos de altos níveis podem ser classificados em Palmer que atua na região Nordeste do Brasil ou Palmém que atua em latitude subtropical, neste caso será estudado o vórtice de atuação Subtropical. Normalmente o VCAN inicia-se no Oceano Pacífico e ao atravessar os Andes provoca alterações do tempo no Uruguai,Norte da Argentina e nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Caracterizado como sistema fechado de baixa pressão de escala sinótica, possui um centro mais frio que a periferia, e geralmente podem durar uma hora ou semanas. Os vórtices do tipo Palmém são observados na primavera e inverno, principalmente no mês de julho. Efeitos da Advecção de vorticidade: As principais causas dos VCANs estão relacionadas a instabilidade e precipitação na parte leste e nordeste do vórtice. Pois segundo os estudos de Sutcliff, na parte E/NE do vórtice encontra-se a máxima advecção de vorticidade negativa em altos níveis e consequentemente convergência em superfície, de modo que sempre vamos observar um sistema baroclínico. Portanto para o HS, AVN está relacionado a circulação ciclônica e convergência em superfície e AVP está relacionado a circulação anticiclônica e divergência em superfície. Efeitos do termo Diabático: Considerando inicialmente somente os efeitos do aquecimento diabático, este termo implica nas variações da vorticidade em superfície. Se este termo for negativo no HS, atuando como fonte de calor, este contribuirá para formação ciclônica, logo se for positiva no HS, atuando como sumidouro de calor, contribuirá para a formação anticiclônica. Efeitos do termo Adiabático: Relacionado a condições de estabilidade e instabilidade atmosférica. Para uma atmosfera estável, o termo adiabático geralmente tende a atuar como freio, tanto no desenvolvimento ciclônico como no anticiclônico. Um exemplo é o cavado a sotavento das montanhas, como mostra a figura abaixo.
Postar um comentário

Últimas dos Blogs